Manhã negativa na Europa, sem exceções, com o principal índice português a perder 0,59% para 4.524,50 pontos.

Os investidores estão em modo “esperar para ver”, aguardando as conclusões das reuniões de política monetária da Reserva Federal (Fed), nos Estados Unidos, e do Banco do Japão que terminam manhã.

"O mercado está mais nervoso sobre o Banco do Japão do que em relação à Fed pois pode surpreender o mercado", disse Yutaka Miura, um analista técnico sénior da Mizuho Securities, citado pela Reuters.

O Banco do Japão poderá fazer mudanças substanciais de política monetária, aplicando novos cortes de taxas e arrastando-as para terreno ainda mais negativo, apesar dos problemas potenciais que pode criar para o setor financeiro.

Em Lisboa, a banca concentra atenções. O BPI é dos poucos títulos que sobe, 0,18% para 1,097 euros, em véspera de assembleia-geral que agora, com a garantia do acionista Violas de que não causará mais entropias ao processo, pode terminar no fim dos limites de voto e permitir ao Caixabank avançar com a oferta que fez para ficar com a maioria do banco liderado por Fernando Ulrich.

Já o BCP continua muito próximo dos mínimos, a perder 0,63% para 0,0156 euros, após a saída do título do índice Stoxx 600 na sexta-feira, levando os fundos que seguem este índice pan-europeu a vender as ações do banco português.

Entre as maiores quedas, a Corticeira Amorim, a descer 1,81% para 8,34 euros, e na energia o sinal mais vermelho é da Galp, a derrapar 0,83% para 11,880 euros.