O índice de referência PSI20 sobe 1,23%, em sintonia com os europeus, numa sessão em que os investidores expressam otimismo após a aprovação pelo parlamento grego do duro pacote de reformas e antes de uma reunião do BCE que poderá aumentar a assistência de urgência à enfraquecida banca grega.

O Conselho de Governadores do Banco Central Europeu reúne-se esta manhã, em Frankfurt, podendo aumentar a assistência de liquidez de urgência à Grécia.

Esse passo, que ainda não é garantido, poderá permitir a reabertura dos bancos gregos, que estão encerrados há quase três semanas, embora os limites aos levantamentos nos ATM e os controlos de capitais deverão ser mantidos.

De acordo com a Reuters, o FTSEurofirst 300, índice composto pelas 300 maiores cotadas na Europa, sobe 1,26%, para perto de máximos de seis semanas.

Decorre, entretanto, uma teleconferência dos ministros das finanças da União Europeia, para discutir um empréstimo-ponte de 7.000 milhões de euros (ME) à Grécia.

Esse financiamento visa permitir ao país fazer face às necessidades imediatas de repagamento de dívida, e evitar falhar um reembolso ao BCE já na segunda-feira.

Apesar de alguma relutância dos parceiros europeus que não fazem parte moeda única, prevê-se que todos os 28 países da União Europeia contribuam para o empréstimo, a realizar com fundos do Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira.

No mercado petrolífero, o preço do barril de Brent, em Londres, sobe 0,42% para 57,27 dólares e o de crude Nymex ganha 0,66% para 51,75 dólares, suportados por uma queda nos 'stocks' de crude nos Estados Unidos.

No mercado obrigacionista, a yield das obrigações do Tesouro a 10 anos alivia 2 pontos base (pb) para 2,71%, enquanto a equivalente grega tomba 57 pb para 12,11%.

O euro deprecia-se 0,31% face à moeda norte-americana para os 1,0913 dólares, após Janet Yellen, Presidente do Federal Reserve ter reforçado ontem que o banco central continua a ver um aumento de taxas este ano.