O IGCP conseguiu colocar no mercado 1250 milhões de euros de dívida pública em Bilhetes do Tesouro com maturidades a três e 11 meses, o montante indicativo máximo anunciado pelo IGCP e com juros muito próximos de zero.

Na maturidade a três meses foram colocados 250 milhões de euros em BT, a uma taxa de juro de 0,061%. A procura superou a oferta e 4,66 vezes.

Na maturidade a 11 meses foram colocados mil milhões de euros de dívida, as uma taxa de juro de 0,138%. A procura superou duas vezes a oferta.

​«É muito boa esta colocação, continuamos a emitir a taxas historicamente baixas, o que é positivo para baixar o custo médio da dívida portuguesa», disse Filipe Silva, Gestor de Dívida do Banco Carregosa.

«Não temos visto a dívida pública portuguesa a alargar em termos de yield com a situação da Grécia. Toda a curva da zona euro está com taxas historicamente baixas e Portugal apresenta-se na frente da curva, no sentido em que a rentabilidade relativa que oferece é mais atrativa que a dos pares», acrescentou.