[Atualizada às 14h08]

A espanhola Iberdrola anunciou a venda de 2,097% do capital que detinha na EDP em duas operações distintas e vai sair totalmente da elétrica portuguesa até maio, segundo um comunicado enviado ao regulador do mercado espanhol (CNVM).

A Iberdrola Energia alienou um pacote de 72.360.357 ações representativas de 1,979% do capital social da EDP, a um preço unitário de 2,90 euros, numa operação de «colocação acelerada» junto de investidores institucionais qualificados, mediada pela UBS Limited, que rendeu 209,84 milhões de euros e gerou mais valias brutas de 42,08 milhões.

Na sessão de terça-feira, a elétrica espanhola já tinha vendido mais 4.312.000 ações, correspondentes a uma participação de 0,118%, a um preço médio de 2,873 euros, gerando mais valias de 2,4 milhões de euros.

No total, as operações renderam à Iberdrola 222,22 milhões de euros e geraram mais valias brutas de 44,48 milhões de euros.

A Iberdrola adianta, no comunicado, que prevê alienar os restantes 2,9% que detém na EDP em derivados de venda de ações até 07 de maio, altura em que vencem os contratos, liquidando assim a totalidade da sua participação na elétrica portuguesa.

Na segunda-feira, a Iberdrola já tinha anunciado a redução da sua participação indireta na EDP para 4,996%.

Na altura, a empresa espanhola referiu que, depois das vendas de ações realizadas desde 31 de dezembro, a participação na EDP caiu para as 243.395.875 ações, representativas de 4,996% do capital social da elétrica portuguesa.

O presidente executivo da EDP viu com «enorme naturalidade» a saída da Iberdrola da elétrica portuguesa, já que as duas empresas são concorrentes, sublinhando que a espanhola saiu «com mais-valias» e logo a posição que detinha era «um bom ativo».

«A empresa [Iberdrola] tinha, por razões históricas, decidido ter praticamente 10% [da EDP], agora quis desfazer-se da posição. É uma evolução natural entre duas companhias que são concorrentes, concorrem no mercado ibérico, um dos de maior concorrência no mercado europeu», disse António Mexia, à margem da assinatura de um protocolo da elétrica com os CTT, para a comercialização de energia nas lojas dos Correios.