O novo enquadramento regulatório do sector elétrico que será anunciado pela Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos em Outubro é visto como um catalisador para a REN e vai aumentar a visibilidade sobre os resultados, segundo o Goldman Sachs, que subiu o título para «Buy» e o «target» para 3,2 euros de 2,9 euros antes.

«Subimos a REN para «Buy» (de «Neutral») após termos aumentado o preço-alvo a 12 meses de forma a refletir um custo de dívida mais baixo, evidente nos resultados do segundo trimestre», explicou esta casa de investimento.

Lembrou que a ERSE vai apresentar o novo quadro regulatório para o período 2015-18 a 15 de Outubro, realçando que «é visto como um potencial catalisador para o título, uma vez que trará visibilidade aos reultados para cerca de dois terços do RAB da REN».

Realçou que «a REN oferece o «dividend yield» mais alto do sector, de 6,7%, que acreditamos ser totalmente sustentável e tem espaço significativo para crescer se a taxa ao sector da energia for levantada».

O Governo já anunciou que vai manter por mais um ano o imposto extraordinário ao sector energético, num pacote de medidas de 1.400 milhões de euros, ou 0,8% do Produto Interno Bruto (PIB), para cumprir a meta de um défice de 2,5% em 2015.

O lucro da REN teve uma queda homóloga de 9% para 58 milhões de euros no primeiro semestre de 2014, devido à taxa extraordinária sobre ativos de energia, mas saiu levemente acima do previsto.

Por sua vez, o EBITDA da REN, entre janeiro e junho desceu apenas 3% para 252 milhões, «influenciado positivamente pela expansão da remuneração da base de ativos regulados e pela redução conseguida nos custos operacionais».