A forte subida da petrolífera Galp Energia e os ganhos da retalhista Jerónimo Martins levaram o índice PSI20 a liderar os avanços dos mercados europeus com uma subida de 1,1%.

A Galp ganhou 4,9% para 10,22 euros, em sintonia com o sector europeu que subiu 3,51%, após a valorização de 2,3% do barril de Brent para 49,9 dólares.

O sentimento positivo está associado ao anúncio da Royal Dutch Shell de um plano de corte de custos e sinergias que fará a sua compra do BG Group por 70.000 milhões de dólares fazer sentido, mesmo com preços de crude mais reduzidos.

A Jerónimo Martins recuperou das quedas de ontem e ganhou 2,4%. Tanto a dona do Pingo Doce como a rival Sonae e CTT apresentam resultados esta semana.

A Sonae avançou 1,8% e os CTT 0,8%, enquanto a Mota Engil somou 4,2%.

A telecom NOS, que apresenta resultados quinta-feira antes da abertura de Bolsa, encerrou com um ligeiro ganho de 0,1%.

Segundo uma Poll, o lucro da NOS deverá ter crescido 29% no terceiro trimestre de 2015 para 24,2 milhões de euros, apoiado num sólido aumento das receitas com pacotes convergentes mais rentáveis e ganhos de clientes.

Pela negativa, destaque para o sector financeiro. O BPI desceu 0,9%, o Banif 6,9% e o BCP 2%.

Segundo o Caixa Banco de Investimento, o BCP apresentou bons resultados no terceiro trimestre de 2015 e a subida da margem financeira, a par da redução de custos e de imparidades para crédito, deverá permitir continuar a aumentar a rentabilidade.

O maior banco português cotado apresentou um lucro líquido em linha com o previsto de 264,5 milhões de euros  nos nove meses de 2015, com um sólido aumento da margem financeira e do trading. Há um ano atrás, tinha tido um prejuízo de 109,5 milhões.

O britânico Standard Chartered contagiou negativamente o sector após o anúncio de um aumento de capital de 5.100 milhões de dólares e um corte de 15.000 postos de trabalho até 2018, para elevar a sua rentabilidade.