O lucro líquido ajustado da Galp Energia mais que duplicou para 189 milhões de euros (ME), batendo as expectativas para o segundo trimestre de 2015, suportado por uma sólida recuperação nas margens de refinação e o aumento de output crude no Brasil, anunciou a empresa.

Segundo a Reuters, a média das estimativas de cinco analistas apontava para um lucro ajustado aos efeitos de stock e eventos não recorrentes (RCA) de 150 ME, face aos 68 ME registados no segundo trimestre de 2014. (Full Story)

A petrolífera referiu que, entre Abril e Junho deste ano, o EBITDA - lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização - também ajustado, subiu 64% face há um ano atrás para 446 ME, comparado com 433 ME da média da poll.

Os números são ajustados para corrigir os efeitos de stock e eventos não-recorrentes (RCA).

"A margem de refinação da Galp Energia foi de 7,3 dólares por 'barrel of oil equivalent', refletindo principalmente a recuperação das margens de refinação no mercado internacional", explicou a empresa, em comunicado.

"O negócio de comercialização de produtos petrolíferos manteve o seu contributo positivo para resultados".

No segundo trimestre de 2015, a margem de refinação benchmark da Galp Energia melhorou para 7,3 dólares por barril face ao período homólogo de 2014, quando foi negativa em 0,2 dólares.

A Galp já tinha anunciado, a 13 de Julho, que o volume de crude processado disparou 46,3% para 29,8 milhões de barris no segundo trimestre, tendo a margem de refinação 'benchmark' passado a positiva face ao ano passado, para 5,2 dólares por barril.

Adiantou hoje que o EBITDA do segmento de negócio de 'Refinação&Distribuição' subiu para 224 ME, de 41 ME no período homólogo.

O negócio de 'Exploração&Produção', que a empresa vê como principal motor de crescimento, apresentou uma subida de 13 pct no EBITDA para 120 ME, impulsionado pelo aumento do 'output', especialmente no Brasil.

A Galp tem participações minoritárias em vários blocos de produção de petróleo no pré-sal da Bacia de Santos e no 'offshore' angolano.

Em empresa tinha informado, a 13 de Julho que a produção 'net entitlement' - sem custos com direitos de exploração pagos aos Estados - escalar 86,6% para 40.900 barris diários.

A produção 'working interest' (WI) - após pagos os impostos em espécie, disparou 70,6 pct para 43.800 mil barris diários.