Fundos de investimentos especulativos podem ter ganho milhões de euros com a queda das ações do Banco Espírito Santo (BES), refere hoje The Wall Street Journal na sua edição online.

Um dos maiores fundos a apostar no colapso do banco foi o Marshall Wace LLP, que o fez a 15 de maio, segundo o jornal, que cita dados do regulador. Nessa altura, as ações do banco negociavam a 99 cêntimos e a sua última cotação em bolsa na passada sexta-feira foi de 12 cêntimos.

O fundo poderá ter alcançado lucros de 27 milhões de euros (36 milhões de dólares).

Segundo The Wall Street Journal, o Marshall Wace foi contactado e não quis fazer qualquer comentário.

Um outro fundo que pode ter beneficiado com a queda do BES é o TT International, com o jornal a sugerir um possível ganho de 15 milhões de euros. O TT também não quis comentar.

O jornal aponta ainda que um terceiro fundo, o Altair Investment Management Ltd, com sede nas Bermudas, poderá ter alcançado uma mais-valia de 11 milhões de euros.

Os ganhos destes fundos baseiam-se em operações que envolvem pedidos de empréstimo de títulos de uma empresa, esperando que estes caiam. Se isso acontecer, compram as ações a um preço mais baixo, pagam o empréstimo e ficam com o ganho.

A queda das ações do BES acentuou-se nos últimos meses e a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários proibiu em várias ocasiões a venda a descoberto de ações do BES.

No domingo, o Banco de Portugal assumiu o controlo do BES e anunciou a separação da instituição num banco mau ('bad bank'), que concentra os ativos e passivos tóxicos, e num 'banco bom', o chamado Novo Banco, que receberá uma capitalização de 4,9 mil milhões de euros do Fundo de Resolução bancário.