Em julho, mês do aumento de capital do BCP, os fundos de investimento detinham 27,6 milhões de euros de ações do banco, um aumento de 54,4% relativamente ao mês anterior, mostram as estatísticas dos Fundos de Investimento Imobiliário divulgadas pela Comissão de Mercado e Valores Mobiliários.

O título que mais pesou nas carteiras dos fundos foi a Sonae SGPS, representando 9,4% do total investido, após a subida mensal de 6,1%

O valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários totalizou 8.516,6 milhões de euros, menos 223,5 milhões de euros (2,6%) do que em junho. Nos fundos de investimento alternativo, o valor sob gestão desceu 13,5% para 4.116,0 milhões de euros.

Recorde-se que, para além do aumento de capital em 2,25 mil milhões de euros do banco liderado por Nuno Amado, a crise no Banco Espírito Santo também ajuda a explicar este aumento.

No caso do BPI também houve um aumento, mas menos significativo: os dados da CMVM mostram que os fundos de investimento detinham 24,3 milhões em ações do banco, mais 12,1% do que no mês anterior.