O Ministério das Finanças da Rússia anunciou esta quarta-feira que vai vender moeda estrangeira para travar a queda da cotação do rublo, que se está a desvalorizar há dois dias consecutivos.

«O Ministério das Finanças considera que o rublo [moeda russa] está extremamente desvalorizado, pelo que está a começar a vender divisas no mercado», disse a porta-voz do ministério Svetlana Nikitina, citada pela Lusa.

O rublo voltou hoje a perder terreno face ao dólar norte-americano e ao euro pouco antes da abertura do mercado de divisas moscovita, depois da «terça-feira negra» em que chegou a perder 20%.

Poucos minutos depois das 10:00 (07:00 em Lisboa), a moeda norte-americana crescia 4,2 rublos, até aos 71,92 rublos por dólar, enquanto o euro subia 5,85 rublos, com a moeda europeia a valer 91 rublos.

Contudo, pouco depois, a moeda russa começou a valorizar-se e, assim, o dólar desceu até aos 67,5 rublos e o euro até aos 85.

A bolsa de Moscovo abriu, por seu turno, sem variações no seu índice de referência, o RTS, que se manteve nos 629,15 pontos, depois de, na terça-feira, ter caído 12,41%, arrastado pelo tombo do rublo. Apesar disso, minutos depois de iniciar as transações, o RTS subia 4,5%.

Desde o início do mês, o índice RTS, cujas ações são avaliadas em dólares, perdeu 34,35%, somando uma queda de 55% desde o arranque do ano.

Entretanto, hoje soube-se que o Banco Central da Rússia gastou perto de 2.000 milhões de dólares na passada segunda-feira para estabilizar a moeda nacional, segundo se depreende dos dados divulgados pelo regulador no seu portal na Internet.

Esta terça-feira, o banco central russo, que aumentou a sua taxa diretora de 10,5% para 17%, considerou «crítica» a situação no mercado de divisas, onde o rublo sofreu uma desvalorização acentuada.