As bolsas europeias voltam a negociar divididas esta quarta-feira de manhã, quando ainda não existe acordo à vista para pôr fim ao impasse orçamental nos EUA. Milão e Madrid seguem em alta, com ganhos inferiores a 0,3%, e as restantes praças negoceiam no vermelho.

A bolsa de Lisboa é uma das que transaciona abaixo da linha de água, mas por pouco. O PSI20 cai 0,05% para 5.955,92 pontos.

A maior descida desta manhã cabe à Zon Optimus, que recua 1,04% para 4,67 euros, depois de se saber que o seu ex-presidente executivo, Rodrigo Costa, e que o seu atual vice-presidente da Comissão Executiva, Luís Lopes, venderam as ações que detinham no capital da empresa.

Também no vermelho segue a Jerónimo Martins, a ceder 0,68% para 13,91 euros, e a EDP, que cai mais 0,44% para 2,51 euros.

No verde, a impedir que a bolsa lisboeta perca mais terreno, segue o setor financeiro, liderado pelo Banif, a disparar 10% para 1,1 cêntimos. O BPI é, dos três grandes, o que mais avança: 1,35% para 1,05 euros. O BCP também ganha 1,03% para 9,8 cêntimos, e o BES avança 0,54% para 93 cêntimos.

A banca beneficia da descida dos juros da dívida pública que, no prazo a 10 anos, estão já abaixo dos 6,39%.