O euro negociava esta quarta-feira em alta face à moeda norte-americana pela quinta sessão consecutiva, ultrapassando a barreira dos 1,38 dólares, isto, depois de ter sido alcançado um acordo orçamental nos Estados Unidos (EUA).

Pelas 18:00 (hora de Lisboa), o euro negociava nos 1,3804 dólares, acima dos 1,3774 dólares a que transacionava na segunda-feira, sensivelmente à mesma hora.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou hoje a taxa de câmbio oficial do euro nos 1,3767 dólares.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, saudou na terça-feira à

noite o acordo orçamental negociado no congresso, qualificando-o como «uma boa primeira etapa» para sair das crises recorrentes que abalam Washington desde 2011.

Em comunicado, Obama disse esperar que o acordo, que ainda tem de ser ratificado pelos eleitos, signifique que «os [norte-]americanos não tenham de suportar uma nova paralisia do Estado federal nos próximos dois anos».

Os principais negociadores, a senadora democrata Patty Murry e o republicano da Câmara dos Representantes Paul Ryan, adiantaram que o novo limite para os défices orçamentais em 2014 e 2015 situa-se pouco acima do bilião [milhão de milhões] de dólares (727 mil milhões de euros), um pouco acima dos níveis atuais, e afasta, pelo menos parcialmente, os odiados cortes automáticos na despesa.

Em outubro último, os serviços do governo federal estiveram encerrados durante duas semanas, devido a estes cortes automáticos, que se seguiram à ausência de acordo orçamental entre republicanos e democratas.