Portugal conseguiu adiar para 2017 e 2018 cerca de 6,64 mil milhões de euros de dívida que tinha de pagar originalmente em 2014 e 2015, numa operação de troca de dívida realizada pelo IGCP, um valor acima do esperado pelos analistas.

O IGCP-Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública anunciou que Portugal recomprou 837,047 milhões de euros de Obrigações do Tesouro (OT) com maturidade em junho de 2014 e 1.639,933 milhões que expiram em outubro de 2014.

Portugal recomprou também 4.164,534 milhões de euros de OT com maturidade em Outubro de 2015.

No âmbito desta operação, Portugal vendeu, aos investidores que aceitaram a troca daqueles Bonds, 2.675,558 milhões de OT com maturidade em outubro de 2017 e 3.965,956 milhões de Outubro de 2018, adiando as respectivas amortizações até dois anos.

O país repete, desta forma, a receita que usou na anterior troca de Bonds, realizada em outubro de 2012, em que trocou 3.757 milhões de uma OT com maturidade em setembro de 2013 pela OT que expira em outubro de 2015.

Com a operação de troca concluída esta terça-feira, as amortizações de OT que o Tesouro terá de fazer desceram para 11.108 milhões em 2014 contra 13.585 milhões de euros antes desta troca, enquanto as de 2015 desceram para 9.241,5 milhões versus 13.406 milhões de euros.

A ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque, realçou esta segunda-feira que esta é uma gestão adequada dos perfis da dívida, visando que Portugal tenha «um perfil mais suave» de amortizações, realçando que havia «agora uma boa oportunidade».