O Estado vai tentar colocar esta quinta-feira entre 3 e 4 mil milhões de euros em obrigações a 5 anos, revela o Diário Económico. A taxa deverá rondar os 4,6%.

Esta emissão ocorre para aproveitar o apetite dos investidores por risco. É ainda uma forma de provar aos parceiros europeus que o país está a reconquistar o acesso ao mercado, o que poderá ser um trunfo nas negociações para o pós-troika, que arrancam oficialmente a 27 de janeiro, no Eurogrupo.

A operação ocorre depois de a Irlanda ter feito uma emissão de a 10 anos com as taxas mais baixas desde a entrada do euro e com uma forte procura. Espanha também vai hoje a mercado, pretendendo encaixar entre 4 a 5 mil milhões de euros.