A Bolsa de Lisboa abriu a sessão no vermelho e segue agora a cair ligeiros 0,07% para os 5.736,63 pontos, com sete cotadas a negociar abaixo da linha de água.Mas é o setor da energia que está a pressionar o índice: a Galp derrapa 1,9%, fixando o preço das ações em 12,62 euros. Já a EDP cai 0,1%, nos 3,45 euros por ação.

Na banca, o sentimento é misto: enquanto o BPI desce 0,1%, com as ações a valer 1,67 euros, o BCP sobe os mesmos 0,1%, com as ações ainda a valer 0,10 euros.

Destaque também para a Portugal Telecom, que avança 0,6%, fixando o preço das ações em 1,68 euros.

A Teixeira Duarte é a cotada que mais sobe, ganhando 4,2%, nos 0,89 euros por ação. A empresa anunciou que ganhou um contrato no Brasil, através de um consórcio. A fatia que lhe caberá é de 62,8 milhões de euros.

Fora do PSI-20, ainda a Espírito Santo Saúde, que esta terça-feira viu o grupo mexicano Ángeles retirar a oferta pública de aquisição. O grupo tinha oferecido uma contrapartida de 4,50 euros por ação, mas entretanto a Fidelidade, que ainda está na corrida, retificou a oferta para 4,82 euros. As ações da ES Saúde caem 0,2%, para os 4,88 euros.

À semelhança de Portugal, também na Europa a tendência de negociação é negativa. Continuam os receios sobre a recuperação da zona euro, no dia em que o governo italiano reviu em baixa as previsões do Produto Interno Bruto.

Milão, Paris e Londres descem 0,2%, Madrid cai 0,1% e Frankfurt, a única praça no verde, sobe 0,15.