Os títulos da Espírito Santo Saúde seguem a subir 7,8% a valer 4,24 euros, mas a cotada já esteve a disparar 8,5%, depois do anúncio da OPA voluntária do grupo Angeles sobre a cotada portuguesa. A Comissão de Mercado e Valores Mobiliários tinha suspendido a negociação das ações esta terça-feira, à espera de informação relevante sobre a operação.

A informação foi dada ao mercado no mesmo dia, daí que o regulador levantou a suspensão. Recorde-se que a ESS faz parte do PSI-Geral. A empresa mexicana oferece uma contrapartida de 4,30 euros por ação, valorizando a cotada em 411 milhões de euros.

No PSI-20 há ganhos ligeiros, de 0,08% nos 5.701,77 pontos, com a EDP a suportar. A cotada sobe 0,3%, nos 3,46 euros por ação.

A pressionar o índice está o setor da banca: o BPI desce 0,96%, fixando o preço das ações em 1,34 euros, já o BCP deprecia 0,6%, nos 0,097 euros por ação.

A PT perde 0,3%, com cada ação a valer 1,42 euros.

Destaque ainda para o mercado secundário, onde os juros da dívida pública estão a recuar em todos os prazos, no dia em que o Estado tem agendado dois leilões para emissão de dívida, até mil milhões de euros, com maturidades de três meses e um ano.

As Obrigações do Tesouro com maturidade a 10 anos recuam quase dois pontos base, para os 3,39%. As OT a 5 anos recuam dois pontos base para 1,91%.

Estima-se que esta possa ser a emissão com o juro mais baixo de sempre, à semelhança do que aconteceu esta terça-feira com o leilão no mercado espanhol.

Nas principais praças europeias a negociação bolsista segue em queda ligeira. Madrid perde 0,1%, Frankfurt, Londres e Paris caem 0,2% e Milão deprecia 0,3%.