O Tesouro Público espanhol colocou esta terça-feira 4.563 milhões de euros em títulos a seis e 12 meses. O valor ultrapassou o montante indicativo para o leilão, mas os juros médios foram mais altos do que no leilão equivalente anterior, em agosto.

Em concreto, Espanha colocou 1.442,73 milhões de euros a seis meses com um juro médio de 0,945% (em agosto pagou 0,85%) e 3.120 milhões de euros a 12 meses com juro médio de 1,39%, também acima dos 1,278 % pago em agosto.

O aumento do juro da operação interrompe seis emissões consecutivas com descidas nas taxas, mantendo-se um nível elevado de procura entre os investidores.

Apesar do aumento do juro, a operação de hoje decorreu num momento de grande estabilidade no mercado secundário, com o risco da dívida - medido pelo diferencial entre os títulos espanhóis e alemães a 10 anos ¿ a manter-se abaixo do nível italiano há vários dias.

No final de segunda-feira, o risco da dívida era de 248 pontos base.

No último leilão destes prazos, a 20 de agosto, o Tesouro captou 4.147,83 milhões de euros, com juros mais baixos do que na operação equivalente anterior.

No quadro do seu programa de financiamento, o anterior leilão tinha decorrido a 5 de setembro, dia em que o Tesouro captou 4.008,17 milhões de euros em títulos a 5 e 10 anos.

Este mês ainda estão previstas duas outras operações, um leilão de títulos e obrigações (19 de setembro) e outro de títulos a três e nove meses (a 24 de setembro).

Desde o início do ano e excluindo a operação de hoje, o Tesouro Público já tinha captado 96.790 milhões de euros, ou 79,8% do total previsto para todo o ano.

O custo médio da dívida situou-se nos 2,61% a 31 de agosto deste ano, abaixo dos 3,01% de média de finais de 2012.