Portugal colocou esta quarta-feira o montante máximo indicativo de 1.500 milhões de euros num leilão de Bilhetes do Tesouro a 6 e 12 meses, obtendo pela primeira vez uma taxa de juro média negativa na maturidade mais curta.

A taxa média ponderada dos Bilhetes do Tesuro a seis meses fixou-se em -0,002%, comparada com 0,047% de um leilão em março, enquanto a 12 meses foi 0,021%, agravando face a 0,015% numa operação realizada em abril.

A procura de Bilhetes do Tesouro no leilão a seis meses excedeu a oferta em 4,61 vezes face a 2,8 vezes no leilão anterior e a colocação a 12 meses registou um rácio de 1,97 vezes versus 1,7 vezes na emissão anterior.

Note-se que o montante indicativo global se situava entre 1.250 e 1.500 milhões de euros.

No mercado secundário, a yield das Obrigações do tesouro portuguesas a 10 anos sobe três pontos base para 2,41%. Há um mês atrás rondavam os 1,7%, de acordo com a Reuters.