[Atualizada às 19:26]

O Governo aprovou, no âmbito do processo de privatização da CTT , que o preço unitário das ações a alienar através de oferta pública de venda (OPV) não pode ser inferior a 4,10 euros nem superior a 5,52 euros, e que o preço unitário das ações a alienar no âmbito da venda direta institucional não pode ser inferior ao preço unitário das ações a alienar no âmbito da OPV.

Governo «confiante» no sucesso da privatização dos CTT

Assim, é autorizada a alienação pela Parpública de até 105 milhões de ações, representativas de 70% do capital social da CTT, , sendo 21 milhões através de OPV - das quais um lote de 5,25 milhões de ações reservado aos trabalhadores da CTT, e 15,75 milhões de ações para o público em geral -, e o restante através de venda direta institucional.

A informação foi divulgada esta segunda-feira no site do Governo, que dita assim as condições financeiras da venda de 70% dos CTT. A fase final da privatização está prevista para a primeira semana de Dezembro e poderá gerar um encaixe de 580 milhões, caso seja atingido o patamar máximo do preço definido por ação.

Cada investidor particular não pode comprar mais de 25 mil ações. Já os trabalhadores dos CTT estão limitados a 2.500 ações.