A Comissão de Mercado e Valores Mobiliários decidiu suspender a negociação de instrumentos financeiros do Banco Espírito Santo, «até à divulgação de informação relevante sobre os mesmos», pode ler-se num comunicado do regulador publicado na sua página de internet.

Almofada financeira de 2014 reduzida a 5,6 mil milhões de euros



KPMG avisou Banco de Portugal sobre buraco no BES



São cerca de 50 os instrumentos financeiros que ficam em suspenso até à CMVM obter os esclarecimentos que solicita. Entre eles estão obrigações hipotecárias do BES, intrumentos financeiros ligados à Tranquilidade, BES Finance e BESI.

Este domingo o Governador do Banco de Portugal, Carlos Costa, apresentou a solução para o BES, que passou pela criação de um «banco bom», onde permanece a generalidade da atividade do banco, os ativos não tóxicos, como património, e uma capitalização de 4.900 milhões de euros.

A solução anunciada pelo BdP surge apenas 4 dias depois do BES ter apresentado prejuízos de 3,6 mil milhões de euros relativos ao primeiro semestre do ano.

A CMVM já tinha suspendido a negociação das ações do banco, na sexta-feira. Depois da solução anunciada ontem, o BES sai do PSI-20, à semelhança do que aconteceu com a Espírito Santo Financial Group.