Os resultados líquidos dos bancos norte-americanos Citigroup e Goldman Sachs relativos a 2013 revelam que, em ambos os casos, há subidas consistentes mas, ainda assim, abaixo das previsões dos analistas.

No caso do Goldman Sachs, o lucro teve uma subida homóloga de 8% para 8,04 mil milhões de dólares (5,9 mil milhões de euros), o valor mais elevado em três anos, mas o desempenho no último trimestre do ano passado desiludiu as expectativas.

Já o Citigroup apresentou um lucro de 2,69 mil milhões de dólares (1,97 mil milhões de euros) em 2013, duplicando o resultado de 2012, mas apesar de tudo abaixo das estimativas dos especialistas.

Em ambos os casos, foi o registo abaixo do esperado nas

divisões de corretagem que impediu ainda maiores progressões ao nível dos resultados.

A dependência do Goldman Sachs das receitas de trading [corretagem] baixaram para o nível mais baixo de mais de uma década, enquanto que, no Citigroup, os ganhos em 2013 com o negócio de compra e venda de obrigações recuaram 15%, face ao ano anterior.