O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, estava esta quinta-feira de manhã em baixa, com a Mota-Engil e a Altri a liderarem as perdas, a caírem 6,29% e 4,43%, respetivamente.

Segundo a Lusa, cerca das 09:50 em Lisboa, o PSI20, que agora apenas inclui 17 empresas (os títulos do Banif deixaram de integrar o índice a 23 de dezembro de 2015), estava a recuar 2,01%, para 5.061,01 pontos, com 15 'papéis' a desvalorizarem-se e apenas dois a subirem (Impresa e Teixeira Duarte).

Os títulos da Mota-Engil e da Altri lideravam as perdas, estando a desvalorizarem-se 6,29%, para 1,67 euros, e 4,43%, para 4,423 euros.

No mesmo sentido, os 'papéis' da Galp Energia, da Portucel e do BPI eram dos que mais desciam, designadamente 3,60%, 3,02% e 2,92%.

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje de manhã em baixa, na sequência do afundamento do preço do petróleo e dos mercados chineses, onde quedas superiores a 07% provocaram a suspensão das operações.

O afundamento do preço do petróleo foi provocado pelo aumento das tensões entre a Arábia Saudita e o Irão, que poderão travar um eventual acordo na Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para deter a referida queda dos preços.

À tendência de baixa do preço do petróleo juntou-se hoje a situação do mercado chinês, que viveu a sessão mais curta de sempre, já que durou apenas 28 minutos, incluindo uma suspensão de 15 minutos, perante as fortes quedas que sofriam, designadamente 7,32% em Xangai e 8,35% em Shenzhen.

A situação registada hoje no mercado chinês foi pior do que a de segunda-feira, quando as bolsas de Xangai e de Shenzhen registaram decréscimos de 6,85% e de 8,16% e fecharam prematuramente, 92 minutos antes do habitual.

A queda do mercado chinês de hoje ocorreu depois da Comissão Reguladora do Mercado de Valores da China (CRMV) ter anunciado novas medidas que limitarão a capacidade de venda de títulos dos grandes acionistas chineses para um máximo de 1% do total de ações de uma empresa.

Assim, os grandes acionistas, proprietários de 05% ou mais do capital de uma empresa, não poderão vender mais de 01% do total num prazo de três meses e estarão obrigados a anunciar ao mercado os planos para o fazer com pelo menos 15 dias de antecipação.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou na quarta-feira em baixa, com o Dow Jones a cair 1,47%, para 16.906,51 pontos, depois de ter avançado a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,0821 dólares, contra 1,0760 dólares na quarta-feira.

O barril de petróleo Brent, para entrega em fevereiro, abriu hoje em forte baixa, a cotar-se a 32,81 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 4,14% do que no encerramento da sessão anterior.