O Conselho de Administração do BPI propôs alterar os estatutos do banco para eliminar o limite atualmente existente nos direitos de votos, que impede que qualquer acionista vote com mais de 20% em assembleia-geral ainda que tenha mais capital social.

Esta informação foi hoje prestada pelo banco em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), afirmando que o Conselho de Administração tomou essa decisão após uma iniciativa da Comissão Executiva, liderada por Fernando Ulrich.

Segundo o comunicado, o Conselho de Administração considera que, na atual situação do sistema financeiro português, a limitação estatutária à contagem de votos pode condicionar o envolvimento dos atuais e futuros acionistas no banco, seja "no que respeita ao apoio ao financiamento da sua atividade e da respetiva expansão" ou "no que respeita ao suporte da participação do Banco em eventuais operações de concentração".