O Conselho de Administração do BPI chumbou esta quinta-feira o preço da OPA lançada pelo banco catalão CaixaBank.

Em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), o Conselho de Administração do BPI «entende que o preço de 1,329 euros por ação oferecido pelo CaixaBank através da Oferta não reflete o valor atual do BPI, pelo que não recomenda aos seus acionistas que aceitem aquela Oferta». 

Para o banco liderado por Fernando Ulrich, o preço da Oferta, para ser adequado, terá de ser superior a 2 euros.

Segundo este órgão, presidido pelo histórico Artur Santos Silva, «o preço que reflete o valor total atual do BPI é de 2,04 euros por ação», especificando que, dentro deste valor unitário por título, 1,12 euros correspondem à valorização da atividade doméstica e 0,92 euros são relativos à atividade internacional do banco.

«A este valor deverá ser adicionado o valor resultante da partilha (50/50) das sinergias» estimadas pelo CaixaBank nesta operação, lê-se no relatório, apontando para um valor de 0,22 euros por ação.

Assim, o valor total que a gestão do BPI considera adequado para esta oferta é de 2,26 euros, 70% acima dos 1,329 euros por ação propostos pelo banco catalão.

«O oferente anunciou que é possível obter sinergias com a operação e quantifica um valor atual líquido de sinergias de 650 milhões de euros. O valor correspondente por ação do BPI seria de 0,446 euros», justificou o Conselho do BPI.

E realçou: «Em operações de consolidação, é comum partilhar sinergias com os acionistas da sociedade visada. Caso essa partilha fosse de 50%, para este montante de sinergias, o valor correspondente por ação do BPI seria de 0,223 euros».