O índice acionista português sobe 0,4% e contraria o cenário negativo das praças europeias, apoiado na valorização do Millennium bcp que estende o rally da semana passada, numa sessão marcada por três novas entradas no índice.

As ações da Corticeira Amorim, Sonae Capital e Montepio fazem, a partir de hoje, parte do principal índice acionista, que conta agora com 18 títulos. De saída estão a Impresa e Teixeira Duarte.

A Corticeira Amorim sobe 1,19%, as unidades de participação da Caixa Económica Montepio Geral descem 0,76%, enquanto a Sonae Capital perde 0,16%.

A sustentar os ganhos do índice está a valorização de 4,24% do Millennium bcp, que estende os ganhos da semana passada. Na última sessão fechou a ganhar 5,91%.

"A imprensa refere que a empresária angolana, Isabel dos Santos, segunda maior acionista do BPI está de saída deste banco e tem interesse em entrar no BCP, e com o apoio do Governo português", explicou Paulo Rosa, trader do GoBulling, citado pela Reuters.

O espanhol CaixaBank e a empresária angolana Isabel dos Santos aproximaram posições e estão a trabalhar no esboço de um acordo sobre o controlo do BPI.

As ações do BCP têm beneficiado do ângulo especulativo que estas negociações culminem num cenário que envolva uma fusão do BCP. O BPI segue a ganhar 0,85%.

Suporte adicional dos CTT, que sobem 1,42%, da Jerónimo Martins e da NOS, ambas a ganharem 0,3%, e da EDP, que soma 0,13%.

Em sentido contrário, nota para a queda de 1,45% da Pharol e de 1,53% da Galp Energia, que acompanha as quedas das petrolíferas europeias e do preço do petróleo nos mercados internacionais, tendo sido também alvo de um downgrade por parte de uma casa internacional.

O Societe Generale cortou a recomendação da Galp para 'Sell', de 'Hold'.