As principais bolsas europeias abriram esta quarta-feira em baixa, com os investidores a analisarem os resultados divulgados de empresas cotadas e depois dos Estados Unidos se terem juntado à Europa na imposição de sanções à Rússia.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em baixa, a descer 0,30%, para 3.181,31 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a cair 0,20%, 0,54% e 0,16%, enquanto a de Milão estava a recuar 0,34%. Ao contrário, Madrid estava a subir 0,18%.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:10, o principal índice, o PSI20, estava a cair 1,03%, para 6.318,67 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em baixa na terça-feira, com o Dow Jones a cair 0,42%, para a 16.912,11 pontos, depois de ter subido a 16 de julho até aos 17,138,20 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em baixa, mas acima dos 1,34 dólares, no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3408 dólares, contra 1,3413 dólares no encerramento de terça-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na terça-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3429 dólares.

Além dos resultados de numerosas cotadas e das imposição de sanções dos Estados Unidos e da Europa contra a Rússia devido ao apoio aos rebeldes assumido por este país na Ucrânia, os investidores estão pendentes da reunião de dois dias da Reserva Federal dos Estados Unidos (Fed), que hoje termina.

Os analistas esperam que a Fed anuncie hoje depois dos mercados europeus fecharem, uma sexta redução da compra mensal de ativos de 10 mil milhões de dólares, ou seja que a compra mensal de ativos passe de 35 mil milhões de dólares para 25 mil milhões de dólares.

Em Espanha, o Instituto Nacional de Estatística (INE) anunciou que a economia espanhola cresceu 0,6% entre abril e junho deste ano, mais duas décimas que no trimestre anterior e mais uma décima do que o previsto pelo Banco de Espanha.

No país vizinho também foi divulgada hoje a taxa de inflação, que voltou a registar um decréscimo negativo homólogo em julho, de 0,3%.

Os investidores também continuam atentos à situação na Faixa de Gaza, onde prossegue o conflito entre Israel e o Hamas. Toda a comunidade internacional tem feito apelos para um cessar-fogo imediato às duas partes envolvidas no conflito, do qual já resultou a morte de mais de um milhar de civis palestinianos.

O barril de petróleo Brent, para entrega em setembro, abriu hoje em baixa, a cotar-se a 107,53 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,17% do que no encerramento da sessão anterior.