As principais bolsas europeias abriram esta quarta-feira mistas, tranquilizadas com as palavras do Presidente russo sobre a Ucrânia e à espera das conclusões da primeira reunião da Reserva Federal norte-americana (Fed) desde que Janet Yellen assumiu a presidência.

Cerca das 09:20 em Lisboa, o Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a descer 0,08% para 3.070,84 pontos.

As bolsas de Londres e Paris estavam a descer 0,26% e 0,09%, bem como as de Madrid e Milão, que estavam a descer 0,07% e 0,32%, respetivamente.

Ao contrário, o principal indicador da bolsa de Frankfurt estava à mesma hora a subir 0,10%.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a Bolsa de Lisboa invertia a tendência e, cerca das 09:20, o índice PSI20 estava a subir 0,07% para os 7.522,01 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street fechou em alta na terça-feira, com o Dow Jones a subir 0,55% para 16.336,19 pontos, depois de ter subido a 31 de dezembro passado até aos 16.576.70 pontos, o valor máximo desde que foi criado, há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3924 dólares, depois de ter terminado a 1,3908 dólares na terça-feira.

O BCE fixou na terça-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3902 dólares.

Os investidores estão esta quarta-feira com os olhos postos na Fed, que conclui hoje a primeira reunião do comité executivo desde que Janet Yellen assumiu a presidência do organismo.

Em relação à crise da Crimeia, os mercados ficaram tranquilizados com as palavras do Presidente russo, Vladimir Putin, que assegurou na terça-feira que Moscovo não tenciona dividir a Ucrânia, já que tanto Wall Street na terça-feira como as bolsas asiáticas hoje terminaram em alta.

Na segunda-feira Putin decretou a Crimeia como um Estado soberano e independente «tendo em conta a expressão da vontade dos povos da Crimeia no referendo celebrado a 16 de março de 2014».

Na Europa, o Eurostat divulga os dados da produção na construção na União Europeia (UE) em janeiro e a Alemanha emite até ao máximo de 4.000 milhões de euros em dívida a dez anos.

A 6 de março, na reunião para avaliar e eventualmente alterar a atual política monetária na zona euro, o BCE voltou a deixar inalterada pelo quarto mês consecutivo a taxa de juro de referência, depois de a 07 de novembro a ter descido de 0,50%, para o mínimo histórico de 0,25%.

O barril de petróleo Brent para entrega em maio abriu em baixa ligeira, a cotar-se a 106,78 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,01 dólares do que no encerramento da sessão anterior, escreve a Lusa.

Bolsa de Lisboa negoceia em alta alinhada com principais mercados europeus

O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, estava

de manhã em alta, a subir 0,21%, alinhado com as principais bolsas europeias, exceto Frankfurt.

Cerca das 09:35, o PSI20 estava a subir 0,21% para 7.500,39 pontos, com dez ações a negociarem em terreno positivo e as outras dez em terreno negativo.

As ações do BPI, Espírito Santo Financial Group e EDP Renováveis eram as que registavam maiores subidas, com as cotações a subirem 1,98%, 1,64% e 0,93%, respetivamente.

As cotações do BPI, Espírito Santo Financial Group e EDP Renováveis estavam a 1,853 euros, 4,774 euros e 4,78 euros, respetivamente.

As ações da Sonae, Altri SGPS e Sonae Indústria eram as que maiores descidas de cotação apresentavam, estando a cair respetivamente 0,90%, 0,79% e 0,66%.

As cotações da Sonae, Altri SGPS e Sonae Indústria estavam a 1,315 euros, 2,75 euros e 0,756 euros, respetivamente, como apurou a Lusa.