As principais bolsas europeias abriram esta sexta-feira sem tendência definida, ignorando as declarações da presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Janet Yellen, que animaram Wall Street na quinta-feira.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,23%, para 3.142,04 pontos.

As bolsas de Londres e Madrid estavam a descer 0,01% e 0,18%, respetivamente.

Paris, Frankfurt e Milão também estavam em alta, com os principais índices a subirem 0,03%, 0,35% e 0,14%, respetivamente.

Depois de ter iniciado o dia em alta, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:10, o índice PSI20 estava a subir 0,21%, para os 7.319,06 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street fechou em alta na quinta-feira, com o Dow Jones a subir 0,46%, para 16.272,65 pontos, depois de ter subido a 31 de dezembro passado até aos 16.576.70 pontos, o valor máximo desde que foi criado, há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3704 dólares, depois de ter terminado a 1,3682 dólares na quinta-feira.

O BCE fixou na quinta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3656 dólares.

A nova presidente da Fed, Janet Yellen, assegurou na quinta-feira numa audiência no Comité de Assuntos Bancários do Senado que a Fed planeia ir eliminado progressivamente os estímulos monetários, mas só se se mantiver a recuperação económica e do emprego.

Nos Estados Unidos, o departamento de Comércio divulga hoje o segundo de três cálculos do Produto Interno Bruto (PIB) do último trimestre de 2013 e a Universidade de Michigan os dados finais da confiança dos consumidores.

O barril de petróleo Brent, para entrega em abril, abriu hoje em baixa, a cotar-se a 108,75 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,21 dólares do que no encerramento da sessão anterior.