As principais bolsas europeias abriram hoje em alta, animadas com a manutenção da política monetária nos Estados Unidos, assegurada na primeira comparência da nova presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Janet Yellen, na Câmara dos Representantes.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,51% para 3.092,86 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a subir 0,17%, 0,43% e 0,66%, respetivamente.

As bolsas de Milão e Madrid estavam em alta, com os principais índices a subirem 0,35% e 0,31%, respetivamente.

Depois de ter iniciado o dia em alta, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:30, o índice PSI20 estava a subir 0,42% para os 7.043,58 pontos.

O PSI20 atingiu o máximo de 7.142,73 pontos a 13 de janeiro.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta na terça-feira, com o Dow Jones a subir 1,22% para 15.994,77 pontos, depois de ter subido a 31 de dezembro passado até aos 16.576.70 pontos, o valor máximo desde que foi criado, há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3644 dólares, depois de ter terminado a 1,3677 dólares na terça-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na terça-feira, o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3676 dólares.

Como Wall Street na terça-feira e as bolsas asiáticas já hoje, as bolsas europeias estavam em alta, com os investidores a valorizarem as declarações de Janet Yellen, que assegurou que a Fed vai manter, por agora, a política monetária que tem sido adotada, com taxas de juro baixas e corte faseado dos estímulos, apesar do desemprego se ter reduzido a um ritmo mais rápido nos últimos meses.

Entretanto, na Alemanha o ministro da Economia alemão, Sigmar Gabriel, apresenta hoje o relatório económico anual do governo de Angela Merkel com projeções de crescimento atualizadas e o Tesouro emite 5.000 milhões de euros em dívida a dois anos.

Em Viena a Organização de países Exportadores de Petróleo (OPEP) apresenta o relatório sobre a situação atual do mercado com previsões atualizadas de consumo e procura de petróleo.

A Total, o Société Générale e a Cisco Systems apresentam hoje os resultados de 2013.

As principais referências da semana vão ser a primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) da União Europeia (UE) e da zona euro no quarto trimestre de 2013, bem como os dados do comércio internacional da UE, que serão publicados pelo Eurostat.

Nos Estados Unidos vão ser divulgados os indicadores das vendas a retalho, produção industrial e o índice de confiança da Universidade de Michigan.

Na terça-feira, o instituto que gere a dívida pública confirmou a colocação de 3 mil milhões de euros em dívida a 10 anos e afirmou que Portugal já conseguiu financiamento para 2014 e está a pré-financiar o défice de 2015.

Num comunicado publicado na terça-feira, o IGCP confirmou ainda que a taxa de juro média para esta emissão a 10 anos ficou nos 5,112% e adiantou que a procura total atingiu 9,8 mil milhões de euros, dos quais 975 milhões de euros foram comprados pelo sindicato bancário escolhido para gerir esta operação.

O sindicato era composto pelo Barclays, pelo Banco Espírito Santo Investimento (BESI), pelo Citi, pelo Credit Agricole, pelo RBS e pelo Société Generale.

O barril de petróleo Brent, para entrega em março, abriu em alta, a cotar-se a 108,78 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,10 dólares do que no encerramento da sessão anterior.