O índice de referência nacional sobe 0,12%, suportado nos ganhos mais fortes da Jerónimo Martins e Semapa, face a uma Europa em máximos, com a desvalorização do euro a favorecer as empresas exportadoras, nota a Reuters.

A apoiar os ganhos da praça portuguesa estão as subidas de 0,93% da Jerónimo Martins, de 0,4% da EDP, de 1,03% da Portucel e de 3,9% da Semapa, holding que controla a cimenteira Secil e a produtora de pasta de papel, Portucel.

De acordo com a Reuters, o BESI Research adicionou ontem a Semapa à sua lista de 'balas de prata' entre as mid cap ibéricas para o segundo trimestre de 2015, realçando que o título negoceia a desconto e tem um potencial de valorização de 41%, com um target de 18 euros.

Do lado das quedas, destaque para a descida de 0,3% do Millennium bcp, de 0,5% da Galp Energia e de 1,5% da PT SGPS.

Europa em máximos desde 2000

O índice pan-europeu Eurofirst 300, que acompanha as 300 maiores empresa europeias, sobe 0,45% e fixou máximos desde o ano 2000, apoiado numa desvalorização do euro face à moeda norte-americana que favorece as empresas exportadoras.

O euro deprecia-se 0,5% para 1,0608 dólares, o valor mais baixo das últimas três semanas.

A animar os mercados europeus está também o sector do retalho, após a francesa Carrefour - segunda maior retalhista mundial - ter apresentado vendas trimestrais que superaram as previsões dos analistas.

No mercado de dívida secundária, os juros soberanos portugueses a 10 anos seguem estáveis em 1,65% e os gregos aliviam três pontos base para 11,32%.

A Grécia reembolsou ontem 450 milhões de euros ao Fundo Monetário Internacional, como agendado e prometido.