As subidas dos pesos-pesados levam o índice acionista de referência PSI20 a subir 0,8%, acompanhando o movimento de recuperação das praças europeias, após dados macroeconómicos fracos vindos da China ontem terem renovado receios sobre os efeitos de uma desaceleração na segunda maior economia mundial, segundo dealers.

O índice FTSEurofirst 300, que acompanha as 300 maiores cotadas da Europa, avança 0,7% e as praças europeias seguem com ganhos de até 1,26% em Milão.

De acordo com a Reuters, traders realçam que o feriado na China e as expectativas de comentários positivos por parte do Banco Central Europeu na reunião desta semana estão a impulsionar os mercados.

"Não vai acontecer muita coisa na China com o feriado e (o chefe do BCE), Mario Draghi, provavelmente vai sinalizar, se não dizer que, se os mercados continuam num tumulto haverá mais QE (compra de títulos)", disse Markus Huber, trader na Peregrine & Black.

Os mercados foram penalizados ontem por números fracos da economia chinesa, nomeadamente o índice PMI, que mede o desempenho da indústria transformadora chinesa, que caiu para 49,7 em Agosto, mínimos de três anos.

Adicionalmente, outro índice para a indústria transformadora na China, o PMI Caixin/Markit, mostrou uma leitura final de 47,3 em Agosto, em mínimos de Março de 2009.

Estes dados vieram reforçar receios de um forte abrandamento da economia, apesar das várias medidas de apoio anunciadas pelas autoridades chinesas e que incluem uma desvalorização da moeda e cortes nas taxas de juro para empréstimos e depósitos.

No mercado petrolífero, o preço do barril de Brent afunda 1,33% para 48,90 dólares e o de Crude cai 1,85% para 44,57 dólares. O euro deprecia-se 0,64% para 1,1245 dólares.