As principais bolsas europeias estavam esta sexta-feira em alta, animadas com o anúncio do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) chinês no terceiro trimestre depois de dois trimestres a desacelerar.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,16%, para 3.015,13 pontos.

Como o de Londres, que subia 0,23%, os principais índices das Bolsas de Paris e Frankfurt estavam a subir 0,34% e 0,04%, respetivamente.

Ao contrário da bolsa de Madrid, que também estava a subir 0,50%, a de Milão estava a descer 0,6%.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, às 9:25, o índice PSI20 estava a descer 0,60%, para 6.336,55 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street fechou em baixa na quinta-feira, com o Dow Jones a descer 0,01%, para 15.371,65 pontos, depois de ter subido a 18 de setembro até aos 15.676,94 pontos, um novo máximo desde que foi criado há 128 anos.

No mercado cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3673 dólares, acima dos 1,3666 dólares do encerramento de quinta-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na quinta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3662 dólares.

As bolsas estavam a reagir positivamente ao anúncio de Pequim de que o PIB chinês aumentou 7,8% no terceiro trimestre em relação ao homólogo de 2012, o primeiro aumento do PIB da segunda maior economia do mundo num ano.

Depois de conhecido a evolução do PIB chinês, os investidores vão concentrar-se no índice de tendência futura da economia norte-americana que será publicado hoje pelo The Conference Board, com o qual a entidade de análise pretende dar uma previsão do comportamento económico nos próximos seis meses.

O barril de petróleo Brent, para entrega em novembro, abriu hoje em baixa, a cotar-se a 109,34 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 1,52 dólares do que no encerramento da sessão anterior.