As principais bolsas europeias abriram hoje em baixa, com os investidores dececionados com resultados de várias cotadas piores que os previstos e a seguir a tendência registada na quinta-feira em Wall Street, Nova Iorque.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava em baixa, a descer 0,82%, para 3.090,05 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a cair 0,91%, 1,26% e 1,21%, enquanto as de Madrid e Milão estavam a recuar 1,54% e 0,86%, respetivamente.

Depois de ter iniciado o dia em baixa, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:30, o principal índice, o PSI20, estava a cair 3,64%, para 5.761,88 pontos.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em baixa na quinta-feira, com o Dow Jones a cair 1,88%, para a 16.563,30 pontos, depois de ter subido a 16 de julho até aos 17,138,20 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em baixa ligeira, abaixo dos 1,34 dólares, no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3387 dólares, contra 1,3389 dólares no encerramento de quinta-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou na quarta-feira o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3401 dólares.

As principais bolsas estavam hoje em baixa, com os investidores a temerem a possibilidade da Argentina entrar em 'default' e terem sido anunciados resultados semestrais de várias cotadas, que foram piores que os previstos.

As situações na Ucrânia - depois de Washington e Bruxelas terem imposto sanções mais abrangentes contra a Moscovo para pressionar o presidente russo, Vladimir Putin, a retirar o apoio aos rebeldes pró-russos no leste do país - e na Faixa de Gaza, onde prossegue o conflito entre Israel e o Hamas, serão outros dos assuntos presentes hoje nos mercados.

O barril de petróleo Brent, para entrega em setembro, abriu hoje em baixa ligeira, a cotar-se a 105,97 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, menos 0,04% do que no encerramento da sessão anterior.