As principais bolsas europeias abriram esta terça-feira em alta, com os investidores à espera da primeira presença da nova presidente da Reserva Federal norte-americana (Fed), Janet Yellen, na Câmara dos Representantes.

O Euro Stoxx 50, índice que representa as principais empresas da zona euro, estava a subir 0,93% para 3.060,87 pontos.

As bolsas de Londres, Paris e Frankfurt estavam a subir 0,81%, 0,59% e 1,05%, respetivamente.

As bolsas de Milão e Madrid estavam em alta, com os principais índices a subirem 0,66% e 0,78%, respetivamente.

Depois de ter iniciado o dia em alta, a Bolsa de Lisboa mantinha a tendência e, cerca das 09:35, o índice PSI20 estava a subir 0,81% para os 6.977,59 pontos.

O PSI20 atingiu o máximo de 7.142,73 pontos a 13 de janeiro.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou em alta ligeira na segunda-feira, com o Dow Jones a subir 0,05% para 15.801,79 pontos, depois de ter subido a 31 de dezembro passado até aos 16.576.70 pontos, o valor máximo desde que foi criado, há 128 anos.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em alta no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,3658 dólares, depois de ter terminado a 1,3645 dólares na segunda-feira.

O Banco Central Europeu (BCE) fixou, na segunda-feira, o câmbio de referência da divisa europeia em 1,3638 dólares.

A nova presidente da Fed, Janet Yellen, comparece hoje pela primeira vez no comité de Assuntos Financeiros da Câmara dos Representantes para comentar a situação da economia norte-americana.

Os analistas preveem que Yellen, como o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, na semana passada, vá continuar a defender uma estratégia de taxas de juro baixas apesar do desemprego se ter reduzido a um ritmo mais rápido nos últimos meses.

Caso confirme as expectativas dos analistas, a intervenção de Yellen poderá ser um fator de apoio adicional para um mercado que enfrenta uma semana de estabilização e recuperação das bolsas.

Entretanto, segundo a agência de informação financeira Bloomberg, Portugal contratou um sindicato bancário para fazer uma emissão de dívida a 10 anos, ou seja, com maturidade em fevereiro de 2024.

O sindicato é composto pelo Barclays, pelo Banco Espírito Santo (BES), pelo Citi, pelo Credit Agricole, pelo RBS e pelo Société Generale.

A Bloomberg, que citou uma fonte próxima da operação que pediu anonimato, adiantou ainda que a emissão deverá ocorrer num futuro próximo.

Normalmente, o anúncio do sindicato bancário responsável antecede em um ou dois dias a operação.

As principais referências da semana vão ser a primeira estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) da União Europeia (UE) e da zona euro no quarto trimestre de 2013, bem como os dados do comércio internacional da UE, que serão publicados pelo Eurostat.

Nos Estados Unidos vão ser divulgados os indicadores das vendas a retalho, produção industrial e o índice de confiança da Universidade de Michigan.

O barril de petróleo Brent, para entrega em março, abriu em alta, a cotar-se a 108,68 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 0,05 dólares do que no encerramento da sessão anterior.