As bolsas europeias abriram esta quinta-feira em alta, recuperando do mínimo de tres semanas e reagindo com alívio à tão aguardada divulgação das minutas da última reunião da Reserva Federal norte-americana.

Um dos fatores que mais tem preocupado os investidores e penalizado os mercados era a possibilidade de a Fed anunciar uma redução do programa de compra de ativos já na reunião do próximo mês de setembro. Mas a divulgação das atas da última reunião mostram que não existe intenção de cortar os estímulos no mês que vem. Isso poderá acontecer mais no final do ano, confirmam as minutas, caso a economia dos EUA e o mercado de trabalho deem mais sinais positivos de recuperação.

A praça nacional acompanha a tendência de recuperação e o índice PSI20 regista mesmo uma das maiores subidas: 1,57% para 5.952,59 pontos.

A liderar volta a a estar o setor financeiro, com o BES a ganhar 3,73% para 0,89 euros, o BPI em alta de 2,52% para 1,02 euros e o BCP a trepar 2,02% para 10 cêntimos.

Quem também continua a recuperar das fortes quedas sofridas após o anúncio de corte de dividendo é a PT: as ações da operadora avançam 2,46% para 2,79 euros.

No retalho, o maior ganho é registado pela Jerónimo Martins, de 1,85% para 15,40 euros, mas a Sonae, que apresentou resultados ontem após o fecho do mercado, também ganha 1,53% para 0,86 euros. Os lucros da empresa duplicaram no primeiro semestre deste ano para 40 milhões de euros.

Na energia, ambas as empresas de maior peso estão no verde: a Galp sobe 1,41% para 12,57 euros e a EDP recupera mais 1,05% para 2,70 euros.