A bolsa nacional abriu em alta pelo segundo dia consecutivo e consegue, assim, anular as perdas sofridas após o pedido de demissão de Paulo Portas do Governo.

O índice PSI20 lidera as subidas na Europa ao valorizar 1,5 por cento para 5.611,76 pontos. Desde o arranque da semana que a praça nacional tem vindo a recuperar das fortes quedas da semana passada, depois de no fim-de-semana ter sido alcançado um acordo político no Executivo que deverá obter a aprovação do Presidente da República.

As praças europeias seguem com ganhos entre 0,72% de Paris e 1,12% de Milão, a beneficiar do resultado da reunião do Eurogrupo, que aprovou uma nova tranche para a Grécia. A União Europeia e o FMI chegaram a acordo para desbloquear uma nova parcela de 6,8 mil milhões de euros de ajuda a Atenas. O dinheiro deverá ser entregue de forma faseada para assegurar o cumprimento das medidas negociadas previamente.

Os mercados aplaudem ainda os lucros da Alcoa, relativos ao segundo trimestre, que ficaram acima do esperado.

Por cá, a banca continua em recuperação: o BPI dispara 3,35% para 0,957 euros e o BCP pula 2,15% para 0,095 euros, numa altura em que o BES trepa também mais de 2%.

Mesmo assim, a Mota-Engil lidera: avança 3,68% para 2,365 euros, numa manhã em que a EDP soma 2,28% para 2,466 euros.

Nota ainda para os títulos da Galp Energia que valorizam 1,25% para 11,705 euros, em dia de queda nos preços do petróleo. A petrolífera vai investir 8,5 milhões de euros numa fábrica de biodiesel em Sines.