O principal índice da bolsa portuguesa (PSI20) encerrou esta sexta-feira a avançar 0,73% para 7.228,49 pontos, acompanhando o sentimento positivo nas praças europeias de referência, mas com a Sonaecom a descer 7,07% após a OPA.

Das 20 cotadas no PSI20, 15 valorizaram e cinco fecharam o dia no vermelho.

No resto da Europa, os ganhos variaram entre os 0,07% de Madrid e os 0,59% de Paris.

No adeus ao PSI20, as ações da Sonaecom lideraram as perdas, recuando mais de 7% para 2,235 euros, depois de a empresa ter comunicado ao mercado que a ex-dona da Optimus abandonará a negociação em bolsa a partir de segunda-feira, depois de a Oferta Pública de Aquisição (OPA) de ações da empresa ter tido uma adesão de 62%.

No âmbito da fusão entre a Zon e a Optimus, a Sonaecom lançou uma OPA de 88.479.227 ações próprias ou 24,16% do seu capital social, dando em troca numerário e ações da Zon Optimus, tendo sido na quinta-feira conhecido que foram adquiridas pela Sonaecom 62,06% das ações alvo da oferta.

¿Face aos resultados da oferta, o comité do PSI20 decidiu excluir a Sonaecom do PSI20, com efeitos em 24 de fevereiro¿, lê-se na informação divulgada na quinta-feira.

Pela positiva, a Sonae Indústria liderou as subidas, ganhando 3,34% para 0,866 euros, seguida pela Mota-Engil e pela Sonae, que somaram, respetivamente, 2,35% para 5,06 euros e 1,75% para 1,28 euros.

No setor bancário, o BES esteve em destaque ao progredir 1,28% para 1,348 euros. O BCP e o Banif também valorizaram (0,99% para 0,1934 euros e 0,87% para 0,0116 euros).

Em sentido inverso, o BPI recuou 0,12% para 1,666 euros e o Espírito Santo Financial Group perdeu 0,85% para 4,80 euros.

Nota ainda para o bom desempenho dos quatro pesos pesados da praça portuguesa, que fecharam todos em alta.

A EDP e a Galp Energia cresceram mais de 1% para 2,99 euros e 11,91 euros, respetivamente, ao passo que a Jerónimo Martins e a Portugal Telecom avançaram 0,15% para 13,03 euros e 0,06% para 3,232 euros.