A Bolsa portuguesa fechou a valorizar 1,9% e destacou-se entre as praças europeias, apoiada no disparo de 11,8% das ações da Portugal Telecom que encerraram acima da contrapartida oferecida pela empresária angolana Isabel dos Santos na Oferta Pública de Aquisição (OPA) lançada ontem.

A PT encerrou nos 1,361 euros, acima de 1,35 euros oferecidos pela Terra Peregrin, empresa de Isabel dos Santos, que lançou ontem uma OPA geral sobre a PT-SGPS, visando alcançar uma participação relevante embora minoritária na brasileira Oi e manter a unidade do incumbente Portugal Telecom.

«O mercado está a fazer esta leitura que haverá ou uma subida da contrapartida da OPA da Isabel dos Santos ou até aparecer uma oferta concorrente a um preço superior», disse Paulo Rosa, broker da GoBulling no Porto, à Reuters.

Adiantou que, apesar da oferta da Altice visar apenas os ativos de telecom da PT Portugal, «não significa que não possa fazer também uma proposta diferente, como está a fazer a empresária Isabel dos Santos para a PT-SGPS».

A brasileira Oi, com quem a PT está em processo de fusão, já respondeu, considerando esta Oferta «inoportuna», se implicar quaisquer alterações aos termos da fusão previamente acordados entre Oi e PT.

Destaque ainda para a valorização de 5,46% da Jerónimo Martins que fechou nos 8,223 euros, numa recuperação técnica face às recentes fortes quedas e a beneficiando com a expectativa que sejam anunciadas novas metas da subsidiária polaca Biedronka, na próxima quinta-feira.

«Não há grande explicação a não ser técnica, uma vez que o título quebrou em alta a média móvel de 20 dias, o que significa um tendência técnica de subida de curto prazo», explicou Alfredo Sousa, trader do Banco Best.

Adiantou que «o reforço de capital feito pelo Chief Executive Officer (CEO) e a aproximação do Dia da Biedronka são positivos, dado que aumentam a especulação em torno da ação, contudo continuo a apostar na recuperação técnica».

Suporte adicional da banca e dos restantes pesos-pesados, tendo o Millennium bcp subido 1,15% para 0,0789 euros, a EDP-Energias de Portugal ganho 1,02% para 3,283 euros e a Galp Energia avançado 1,68% para 11,52 euros.

Notas positivas também para a Impresa, que valorizou 3,73 euros, e para a Mota-Engil que ganhou 2,88%.

De resto, os principais mercados acionistas europeus fecharam em alta, com subidas entre 0,65% de Frankfurt e 1,93% de Lisboa, impulsionados com notícias de fusões e aquisições no sector petrolífero holandês.