A bolsa nacional fechou a sessão desta quinta-feira em terreno negativo, com o PSI20 a perder 2,01% para 5.423,29 pontos, pressionado acima de tudo pelo setor da banca, que registou descidas acentuadas.

Só hoje, a praça portuguesa perdeu 860 milhões de euros, devido à continuidade da incerteza política no país.

Entre as 20 cotadas que compõem o índice de referência da praça portuguesa, 17 desvalorizaram e apenas três terminaram o dia no «verde».

A castigar esteve o setor da banca, ao registar perdas de 4,94% como a do BES e 13,33% como a do Banif. Espírito Santo Financial Group, Portucel e Semapa foram as únicas cotadas que fecharam o dia com valorizações.

A bolsa nacional fechou, assim, com tendência contrária à da generalidade das praças europeias, que fecharam positivas, na primeira sessão após a proposta do Presidente da República, que, numa comunicação ao país, pediu um «compromisso de salvação nacional» entre PSD, PS e CDS que permita cumprir o programa de ajuda externa e que esse acordo preveja eleições antecipadas a partir de junho de 2014.

Cavaco Silva considerou na sua mensagem de quarta-feira «extremamente negativo para o interesse nacional» a realização imediata de eleições legislativas antecipadas.

A declaração do Chefe de Estado surgiu depois de ter ouvido todos os partidos com representação parlamentar e os parceiros sociais e na sequência do pedido de demissão apresentado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Paulo Portas, no dia 02 de julho.