O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, estava esta sexta-feira de manhã em alta, com o BCP e o BPI a liderarem os ganhos, a subirem 4,36% e 2,89%, respetivamente.

O PSI20, que agora apenas inclui 17 empresas, estava a subir 1,75%, para 4.967,14 pontos, com 14 'papéis' a valorizarem-se, dois a descerem e um inalterado, depois de ter descido a 11 de fevereiro para 4.460,63 pontos, um mínimo desde julho de 2012.

Os títulos do BCP e do BPI estavam a valorizar-se 4,36%, para 0,0407 euros, e 2,89%, para 1,245 euros.

As ações da Sonae SGPS, EDP e Galp Energia eram outros dos 'papéis' que mais se estavam a valorizar, designadamente 2,71%, para 0,986 euros, 2,37%, para 2,935 euros, e 1,79%, para 10,80 euros.

No outro extremo, os títulos da Impresa e da Teixeira Duarte, que vão deixar de pertencer ao PSI20 a partir de 21 de março, eram os que mais perdas registavam, estando a cair 1,11% e 0,57%, respetivamente.

A partir de 21 de março, o PSI20 vai passar a incluir 18 cotadas, com a entrada da Corticeira Amorim, do Montepio e da Sonae Capital, depois de serem excluídos os 'papéis' da Impresa e da Teixeira Duarte.

Estas alterações fazem parte da revisão anual do índice e foram anunciadas na segunda-feira pela Nyse Euronext.

Com estas alterações, o setor financeiro passa a ter três cotadas, com o Montepio a juntar-se ao BPI e ao BCP, sendo que a Sonae Capital se junta à sua casa-mãe, a Sonae SGPS.

A Teixeira Duarte e a Impresa, que voltarão em breve para o índice geral, tinham sido promovidas ao PSI20 no início de 2014.

Na Europa, as principais bolsas estavam hoje em alta, depois de o presidente do Banco Central Europeu (BCE) ter anunciado o aumento de 20.000 milhões de euros do programa mensal de compra de dívida, para 80.000 milhões de euros mensais, entre outras medidas.

Em Nova Iorque, Wall Street terminou quase inalterada na quinta-feira, com o Dow Jones a cair 0,03%, para 16.995,13 pontos, depois de ter subido a 19 de maio passado até aos 18.312,39 pontos, o atual máximo de sempre desde que foi criado.

Ao nível cambial, o euro abriu hoje em baixa no mercado de divisas de Frankfurt, a cotar-se a 1,1171 dólares, contra 1,1170 dólares na quarta-feira.

O BCE também desceu a taxa de juro que cobra aos bancos pelos depósitos para -0,4% e baixou a taxa diretora de 0,05% para 0% e anunciou, como os mercados tinham antecipado, que comprará dívida de empresas cujo 'rating' seja superior a "lixo". A taxa de juro aplicável à facilidade permanente de cedência de liquidez também desceu para 0,25%,

O barril de petróleo Brent, para entrega em abril, abriu hoje em alta, a cotar-se a 40,76 dólares no Intercontinental Exchange Futures (ICE) de Londres, mais 1,5% do que no encerramento da sessão anterior.