A Bolsa de Xangai abriu a sessão a cair 6,4% e no fecho avolumou as perdas, que chegaram aos 7,6%. Só este mês a bolsa já perdeu 19% e está em mínimos de oito meses. Foram perdas de 20% em apenas uma semana, entre 17 e 24 de agosto. 

Esta segunda-feira a bolsa chinesa encerrou a sessão a perder quase 8,5% a maior queda diária em oito anos.

Também a bolsa de Tóquio voltou a registar fortes perdas esta terça-feira, fechando a cair quase 4%.

Na Europa o cenário não é tão negro como o desta segunda-feira. Os investidores viram desaparecer 450 mil milhões de euros do valor das principais ações. As praças seguem a esta altura sem tendência definida.

No verde seguem Paris e Milão, a ganhar 1,3%. Já Frankfurt e Madrid continuam a negociar no vermelho, a perder 5%. A praça de Londres está inalterada.

Em Lisboa, hoje é dia de recuperação. O PSI-20 ganha 1,7%, nos 5.026,01 pontos, com apenas quatro cotadas a negociar abaixo da linha de água.

Destaque para o Banif, que avança 3,8% e lidera os ganhos do índice. A EDP (+1,7% nos 3,03 euros), a Jerónimo Martins (+1,4% nos 11,89 euros) e a Galp (+ 0,9% nos 8,69 euros) registam as maiores subidas do índice.

No vermelho, destaque para a Teixeira Duarte, que derrapa 1,7%, nos 0,47 euros.