A bolsa de Xangai encerrou a sessão desta quarta-feira a perder 1,3% nos 2927 pontos, em mínimos de dezembro de 2014.

Apesar de ter chegado a subir 4% na sessão de hoje, o mercado sofreu outra venda massiva de ações, mostrando que os investidores continuam muito preocupados com a situação chinesa.

A bolsa de Xangai abriu em terreno positivo, apoiada pelo anúncio de um novo corte das taxas de juro, um aparente esforço para conter receios sobre a segunda maior economia mundial, após dois dias consecutivos de pesadas perdas.

O Índice Composite de Xangai abriu a subir 15,82 pontos (0,53%), cotando-se nos 2,980.79 pontos; enquanto o principal indicador da bolsa de Shenzhen, a segunda praça financeira da China, abriu em baixa ligeira, perdendo 2,99 pontos (0,17%), até aos 1,746.08 pontos.

O banco central da China voltou esta terça-feira a cortar as taxas de juro de referência, pela quinta vez desde novembro. O Banco Popular decidiu ainda reduzir o montante das reservas que os bancos têm de manter e   injetou 150.000 milhões de yuan (cerca de 20,3 mil milhões de euros) para aumentar a liquidez do sistema financeiro do país