A subida de 1,8% da Galp Energia, após ter surpreendido com um aumento do lucro superior ao previsto, não é suficiente para impedir a Bolsa de Lisboa de acompanhar as quedas europeias, arrastadas pelo tombo superior a 5% da bolsa grega.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, deu ontem a conhecer os planos para desmantelar o «cruel» programa de austeridade da Grécia, afastando qualquer extensão do atual bailout, entrando em rota de colisão com os parceiros europeus.

Também o ministro das Finanças, Yanis Varoufakis, afirmou ontem que se a Grécia for forçada a sair da zona euro, outros países inevitavelmente se seguirão, o que levará ao colapso do bloco do euro.

O novo plano do Governo grego para renegociar os pagamentos da dívida pública e reverter as políticas de austeridade acordadas com a troika será apresentado ao Eurogrupo esta quarta-feira.

«A possibilidade da Grécia sair da zona euro aumentou de 35% para 50%, com o discurso de Tsipras», disse Gary Jenkins, chief credit strategist na LNG Capital, citado pela Reuters.

O índice nacional PSI20 cai 1,3%, com 16 dos 18 títulos do índice em terreno negativo.

A Banca portuguesa acompanha as desvalorizações dos bancos europeus, estando o Millennium bcp a descer 0,6%, o BPI a recuar 2,47% e o Banif a perder 1,64%. O índice sectorial DJ Stoxx cai 1,72%.

Pressão adicional da Jerónimo Martins, que perde 2,6%, e da família EDP, estando a empresa a perder 1,36% e a EDP Renováveis a recuar 1,97%

A travar maiores quedas do índice está a subida de 1,8% da Galp Energia que surpreendeu esta manhã os analistas com um disparo do lucro de 49 pct para 137 milhões de euros (ME) no quarto trimestre de 2014, suportado por maiores volumes e margens no negócio de Refinação e Distribuição (R&D).