O PSI-20 fechou a última sessão do ano a perder 0,1%, nos 4.798,99 pontos. Contas feitas, só este ano o índice lisboeta perdeu 27%, pressionado pelas cotadas.

A campeã de perdas foi a PT SGPS, que perdeu 73% do seu valor. A exposição de 900 milhões à Rioforte, a juntar à fusão gorada entre a PT e a Oi e a compra da PT Portugal, que fica decidida a 12 de janeiro, fez com que a cotada tivesse um ano para esquecer.

Seguiu-se a Jerónimo Martins, que deslizou 41% no ano. Na banca, no ano de resgate do Banco Espírito Santo que culmina com os interessados à compra do Novo Banco, o BCP perdeu 32%, enquanto o BPI depreciou 16%.

Na energia, a Galp foi arrastada pelos sucessivos recuos no processo do petróleo e terminou o ano com uma queda de 29%. A EDP foi a única que subiu no conjunto do ano, subiu 21%.

Destaque ainda para o mercado secundário, com os juros das Obrigações do Tesouro a 10 anos nos 2.,69%, atingindo mínimos históricos. Recorde-se que há um ano as OT a 10 anos estavam nos 6%.