O índice de referência cai 1,5% e lidera as desvalorizações na Europa, pressionado pelas descidas superiores a 3% da PT SGPS e dos bancos Millennium bcp e BPI, nesta que é a última sessão de negócios completa de 2014.

As ações da Portugal Telecom SGPS recuam 3,61% para 0,882 euros, após terem afundado ontem mais de 7%. A brasileira Oi com quem a PT está em processo de fusão perdeu ontem mais de 3%.

Na semana passada, empresária angolana Isabel dos Santos retirou a Oferta Pública de Aquisição de 1.200 milhões de euros (ME) ou 1,35 euros por ação sobre a PT SGPS, facilitando o caminho para a venda dos ativos portugueses de telecoms da PT Portugal à francesa Altice, recorda a Reuters.

A Comissão de Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) tinha deliberado que a empresária angolana terá de subir a atual contrapartida de 1,35 euros oferecida na OPA sobre as ações da PT SGPS, após ter rejeitado a derrogação de utilização da média ponderada dos últimos seis meses na fixação do preço.

Na banca, o Millennium bcp perde 3,82% e o BPI recua 3,6%, acompanhando o cenário negativos dos pares europeus, enquanto o Banif segue estável em 0,0058 euros.

Pressão adicional da telecom NOS, a cair 3,88%, da EDP, a perder 0,94%, e da Galp Energia a recuar 2,4%, acompanhando as quedas das petrolíferas europeias, após o barril de Brent ter fixado um novo mínimo de cinco anos e meio, nos 56,74 dólares.

O Brent segue agora a cair 1,38% para 57,08 dólares e o de Crude recua 1,36% para 52,88 dólares.

Pela positiva, destaque para a subida de 0,22% da retalhista Jerónimo Martins e para a valorização de 2,3% da Impresa.

Na restante Europa, as principais bolsas seguem com quedas de até 0,9% em Paris, pressionadas pelas desvalorizações dos títulos ligados à energia, com o barril de Brent em mínimos de cinco anos e meio, e pelo aumento do risco político na Grécia.