O índice de referência nacional valoriza 1,9% e lidera o movimento de recuperação na Europa, apoiado nas subidas da Banca e dos pesos-pesados EDP e Jerónimo Martins, com os investidores à espera dos dados do emprego nos EUA, enquanto a yield soberana voltou a fixar mínimos.

No mercado secundário de dívida, a taxa de juro das Obrigações do Tesouro (OT) a 10 anos, o benchmark para avaliar o risco soberano de Portugal, segue em mínimos nos 2,77%.

Os analistas voltam a focar-se nas expectativas de que o Banco Central Europeu venha a comprar dívida soberana no início do próximo ano, nota a Reuters.

Ontem, o presidente do BCE, Mario Draghi, abriu a porta à introdução de políticas monetárias mais agressivas no primeiro trimestre de 2015, dizendo que a sua equipa reforçou os preparativos.

«Acho que ontem os investidores realizaram mais-valias. Mario Draghi não disse nada que possa ser interpretado como desencorajador para as expectativas de quantitative easing», referiu Marius Daheim, estrategista-chefe no Bayersiche Landesbank, citado pela Reuters.

No mercado acionista, destaque para as subidas da Banca, com o BPI a ganhar 1,65%, o Banif a subir 1,52% e o Millennium bcp a valorizar 2,47%.

Suporte adicional dos pesos-pesados do índice, estando a EDP a ganhar 2,11%, a Galp Energia a subir 0,56% e a Jerónimo Martins a avançar 2,42%.

Nota positiva também para as telecoms, estando a NOS a escalar 2,36% e a Portugal Telecom a subir 0,99%.

Ontem, Armando Almeida, Chief Executive Officer (CEO) da PT Portugal afirmou que esta líder nacional das telecoms, detida pela brasileira Oi, tem de tornar a sua estrutura de custos mais competitiva e diminuir o elevado número de gestores.

A Oi tinha duas propostas em cima da mesa para comprar a PT Portugal, a empresa que gere os ativos portugueses de telecomunicações, tendo avançado para negociações exclusivas com a francesa Altice, que oferece 7.400 ME.

Esta oferta superou a proposta de 7.075 ME feita pelo consórcio dos fundos de investimento Apax e Bain com o conglomerado português Semapa.

Também ontem, a um administrador da Terra Peregrin, empresa detida pela empresária angolana Isabel dos Santos, disse que o preço da sua OPA sobre a PT SGPS, de 1,35 euros por ação, é justo e não está disponível para revê-lo.

«A Terra Peregrin quer ser um acionista minoritário, não de controlo, mas relevante de um grupo no Brasil, com participações noutras áreas (geográficas)», disse Mário Silva aos jornalistas, referindo-se ao triângulo com vértices no Brasil, Portugal e Angola.

A holding PT SGPS é dona de uma posição de 25,6% na brasileira Oi.