A Bolsa de Lisboa fechou a sessão desta segunda-feira a recuar 0,4%, pressionada pelos pesos-pesados EDP, Galp e Millennium bcp, num dia chave para a Portugal Telecom (PT), cujos títulos fecharam em alta com a expectativa que os seus acionistas dêem o 'OK' à fusão com a brasileira Oi.

A PT avançou 1,26% para 1,772 euros, tendo estado a subir

mais de 4% durante a manhã.

«Vai haver a Assembleia Geral (AG) de accionistas e há

expectativa que a fusão seja firmada, siga em frente. Já há duas sessões que a PT vinha consolidando esta subida», afirmou Paulo Rosa, dealer da GoBulling, no Porto, à Reuters.

«A PT tinha sido muito penalizada com a questão da Rioforte e com o temor, a certa altura, que o próprio negócio estaria em causa. Agora, havendo a expectativa que este, afinal, siga em frente, o título recupera», explicou.

Apesar da subida da telecom, o índice PSI20 recuou, penalizado pela queda de 1,06% da EDP, 1% da Galp e 0,88% do BCP. A Jerónimo Martins recuou 0,64%.

Os CTT-Correios de Portugal, cuja última fase de privatização foi concluída na semana passada com a venda dos últimos 31,5% detidos pela Parpública, avançaram 1,27%.

Após os ganhos substanciais da semana passada, guiados pelo inesperado pacote de estímulos à economia anunciado pelo Banco Central Europeu, as principais praças da Europa fecharam entre quedas de 0,2% de Amesterdão e 1% de Milão.

Frankfurt foi a única a fechar em leve alta.