O principal índice da bolsa portuguesa, o PSI20, encerrou a sessão de hoje a desvalorizar 0,17% para 7.518,12 pontos, pressionado pela banca e pela Jerónimo Martins.

Das 20 cotadas no PSI20, dez subiram e as restantes dez perderam valor, com o anúncio do primeiro-ministro de que Portugal vai sair do resgate sem qualquer programa cautelar a ser insuficiente para compensar o receio face ao agravamento da tensão entre a Rússia e a Ucrânia.

A ESFG liderou as perdas, ao recuar 9,20%, numa sessão em que a banca fechou no vermelho (à exceção do BCP, que hoje divulgou contas), com o BPI a perder 1,53% para 1,80 euros, o BES 0,97% para 1,32 euros e o Banif 0,94% para 0,01 euros.

O resultado líquido do BCP melhorou nos primeiros três meses do ano face ao período homólogo, já que o prejuízo de 41 milhões de euros fica significativamente abaixo das perdas de 152 milhões de euros no primeiro trimestre de 2013.

Também o «peso pesado» Jerónimo Martins foi decisivo no comportamento da bolsa de Lisboa, ao recuar 1,09% para os 12,23 euros.

Ainda assim, a valorização em 2,98% da Portugal Telecom, outro «peso pesado» do PSI20, impediu maiores perdas.

As principais praças europeias iniciaram a semana com tendência mista: Frankfurt a perder 0,28%, Londres a avançar 0,20%, Paris a subir 0,10% e Madrid a ganhar 0,02%.

A Rússia advertiu hoje que a paz na Europa pode estar ameaçada se a pacificação da situação na Ucrânia falhar e acusou os ultra nacionalistas ucranianos de estarem a violar a legalidade.

«Esforços conjuntos entre o povo ucraniano e a comunidade internacional têm de conseguir pôr fim ao racismo, à xenofobia, à intolerância étnica e à glorificação dos nazis e dos cúmplices de Bandera», refere um relatório do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.