A Bolsa de Lisboa ganha 0,3%, apoiada nas subidas das energéticas e com o Banif a prolongar a tendência de recuperação iniciada ontem, face a uma Europa indefinida, a aguardar o final da reunião do banco central dos EUA que deverá pôr fim a um longo ciclo de política monetária expansionista, de acordo com a Reuters.

As ações dos Banif avançam 30%, depois de ontem terem fechado a valorizar 25%.

O Governo espera que a venda dos 60,5% que o Estado tem no Banif corra bem, mas pode haver perda de parte dos "muito avultados" capitais públicos investidos, disse o primeiro-ministro, realçando que todos os depósitos estão garantidos.

António Costa disse que ontem ao final da tarde convocou os líderes dos grupos parlamentares para uma reunião com o governador do Banco de Portugal (BP) e o ministro das Finanças Mário Centeno, na qual Carlos Costa "transmitiu a informação que tem transmitido ao Governo e que é útil que todos partilhem".

A sustentar os ganhos do índice de referência estão as subidas de 0,5% da Jerónimo Martins, de 0,7% da Galp Energia, de 0,4% da EDP e de 0,86% da EDP Renováveis.

A subsidiária da EDP para as 'energias limpas' anunciou que contratou a espanhola Gamesa para transportar, instalar e pôr a funcionar 48 turbinas eólicas com uma capacidade combinada de 100 megawatts para um parque eólico nos EUA.

Pela negativa, o Millennium bcp cai 1%, a Mota-Engil recua 2,43%, BPI e Sonae perdem 0,6%.