A Bolsa de Lisboa desce 0,5%, pressionada pelas quedas das energéticas e retalhistas, face a uma Europa sem tendência, enquanto os juros soberanos fixaram novos mínimos históricos, antes de um importante leilão de bonds.

A taxa de juro das Obrigações do Tesouro (OT) portuguesas a 10 anos negoceia no mínimo de sempre em 2,09%, segundo a Reuters.

O Tesouro português prevê hoje levantar 1.250 milhões de euros (ME) num leilão de bonds com maturidade a 10 anos.

No mercado acionista, o índice FTSEurofirst 300, que agrega as 300 maiores empresas da Europa, desce 0,06%, após ter tocado ontem máximos de sete anos, enquanto a Bolsa de Atenas, ganha 0,8%, depois do disparo superior a 9% ontem, beneficiando do ‘OK’ do Eurogrupo ao novo programa de reformas.

Estas reformas propostas pelo Governo grego incluem medidas de combate à fraude fiscal, controlo de despesa e a manutenção das privatizações em curso, e representam um recuo em relação a várias promessas eleitorais do partido anti austeridade Syriza.